fbpx

17.05.2021

DPO e outras áreas para atuação em LGPD

 Com o advento da Lei Geral de Proteção de Dados, advogados e advogadas que estão atentos ao mercado de trabalho, seja em busca de novas oportunidades de atuação, ou mesmo atualização e treinamento, já devem estar enfrentando vagas nessas áreas: são carreiras movidas por uma corrida para usar corretamente os dados. A expectativa do mercado é encontrar profissionais que saibam extrair, organizar, armazenar e analisar dados e transformá-los em informações: para as empresas, os dados são um novo tipo de petróleo – tão rico, valioso e importante quanto o petróleo. Confira abaixo as principais profissões que derivam dessa expectativa! 

  1. DPO (Data Protection Officer) –  O DPO (encarregado da proteção de dados) ou supervisor de dados especificado na Lei Geral de Proteção de Dados é o profissional que faz a ponte entre o controlador, o detentor dos dados e a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD). 

Os cargos de DPO correspondem a uma das carreiras mais promissoras previstas para 2021, tendo em vista que todas as empresas, instituições, organizações, instituições públicas ou privadas que processam dados pessoais de titulares de pessoa física devem ter profissionais engajados no processamento de dados. 

A tarefa do DPO responsável é ajudar os funcionários a seguir as diretrizes de boas práticas para lidar com dados pessoais, respondendo aos requisitos dos titulares e agências reguladoras, revisando os regulamentos, políticas e documentos da empresa e adaptando a organização aos requisitos regulamentares emitidos por padrões da ANPD.

  • Especialista em Cloud  – Sempre que você entra no site, preenche o cadastro e faz uma compra, todos os dados ficam armazenados na nuvem. Portanto, os especialistas em nuvem são uma das profissões promovidas pela corrida para usar os dados corretamente. O especialista em nuvem analisa os indicadores do ambiente computacional, verifica o desenvolvimento da infraestrutura e a otimização dos recursos, e garante que a solução em nuvem pode funcionar normalmente e atender aos requisitos de segurança, disponibilidade e desempenho. 
  • DBA – Administrador de Banco de Dados – Embora seja muito antigo no mercado, a posição de administrador de banco de dados – também conhecido como administrador de banco de dados (DBA) – é uma das profissões promovidas pela corrida para usar os dados corretamente nessa nova onda relacionada à LGPD.
    O DBA é um profissional responsável pelo gerenciamento de banco de dados. Ele é responsável por toda a gestão, instalação, monitoramento, configuração e manutenção da segurança do ambiente pertinente do tratamento de dados. 
  • Analista de Business Intelligence e Analista de dados – Os analistas de dados são responsáveis ​​por analisar os dados no conjunto de dados original (também conhecido como big data) de maneira quantitativa e qualitativa. Enquanto a empresa está envolvida na coleta de dados, os analistas de dados concentram suas atividades no desenvolvimento e manutenção da infraestrutura de dados. Deve ser usado como suporte para a tomada de decisão baseada em banco de dados. É ele quem organiza, separa e formata a grande quantidade de dados coletados, que estavam desestruturados e preparados para interpretação, criação de estratégia e tomada de decisão. 

Por sua vez, o Analista de Business Intelligence tem a missão de interpretar os dados recolhidos para gerar insights que ajudem na resolução de problemas e na tomada de decisões, e promover áreas como marketing, vendas e gestão estratégica. Ele é um profissional com uma função muito analítica, que irá exigir o domínio de habilidades de tecnologia da informação (TI), comunicação e resolução de conflitos. 

 

Todos esses cargos que listamos derivam de um domínio absoluto acerca do universo dos dados. O profissional jurídico caiu de paraquedas nesse universo há pouco tempo, mas a boa notícia é que muitos advogados e advogadas já estão dominando essas áreas e inclusive atuando ativamente em cargos como todos os listados. 

Se você tem interesse em atuar com Lei Geral de Proteção de Dados ou, até quem sabe, se tornar um DPO, que tal dar clicar aqui e aqui e ver sobre nossos cursos de LGPD e de DPO? 

Somos uma startup criada em 2018, através da insatisfação com o engessamento e tradicionalismo do mercado jurídico que raramente permitiu que o profissional se desenvolvesse de forma completa e fundamental. Com o desejo de quebrar esse paradigma, nasceu o The Legal Hub.
WhatsApp chat